Petrobras reduz a taxa de declínio de Marlim de 10% para 3,8%...

Petrobras reduz a taxa de declínio de Marlim de 10% para 3,8% a.a

444
COMPARTILHAR
marcos-Faerstein.jpg
*Crédito da foto: André Motta / Banco de Imagens Petrobras

 

 

 

 

Derrubamos a taxa de declínio anual da produção no campo de Marlim, na Bacia de Campos. Nos últimos seis anos, a taxa caiu de 10% para 3,8% ao ano, informou o gerente de Engenharia de Reservatórios da companhia, Marcos Faerstein, na sessão da Rio Oil & Gas “Aumentando o Fator de Recuperação nos novos cenários de baixo preço do petróleo” nesta quarta-feira (26/10).

Faerstein explicou que conduzimos diversas iniciativas para aumentar a rentabilidade de nossas operações num momento em que a indústria enfrenta preços de petróleo mais baixos. “Entre as mais importantes estão o gerenciamento da produção e da injeção de água”, avaliou. Nosso volume recuperável provado de petróleo subiu desde 2010 e vem se mantendo, na média anual, acima de 33 bilhões de barris de óleo equivalente (óleo e gás), de acordo com o gerente. A redução do custo de extração de US$ 14,6 por barril de óleo equivalente (boe) para US$ 11 por boe, de 2014 para 2016, e a redução do tempo de construção de poços do pré-sal para um terço do necessário em 2010 favorecem a viabilidade de projetos e a incorporação de reservas.

O painel foi mediado pela gerente de Engenharia de Reservatórios e Elevação e Escoamento da Petrobras, Priscila Moczydlower e pelo diretor de Tecnologia da empresa GranEnergia, Carlos Tadeu Fraga.

Fonte: Petrobras