Petrobras garante prioridade à UPGN no Comperj

Petrobras garante prioridade à UPGN no Comperj

1167
COMPARTILHAR

Nosso presidente, Pedro Parente, assegurou hoje a conclusão da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) no Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em encontro com prefeitos do consórcio que reúne 16 municípios da região do empreendimento. Os recursos para a finalização da unidade, de aproximadamente US$ 2 bilhões, já estão previstos no nosso orçamento.

“Podem ter absoluta certeza de que a obra será reiniciada. Esta unidade tem que acontecer, é prioritária para nós”, declarou Parente, ressaltando que caso a unidade não fique pronta, teremos que diminuir a produção de campos do pré-sal, de onde parte da produção de gás será escoada pela UPGN. A previsão é de retomada das obras no segundo semestre de 2017 e a conclusão da unidade está prevista para 2020. Ao longo do ano, serão licitados outros 23 contratos voltados às utilidades que viabilizarão a operação da UPGN, a exemplo de unidades de tratamento de água, fornecimento de energia e instalação de dutos.

O executivo comprometeu-se a avisar antecipadamente caso precisemos descontar o repasse de Participação Especial, como aconteceu em novembro de 2016, e aproveitou para comunicar que, com o aumento na produção de petróleo e gás, a perspectiva é de crescimento nos repasses, que já tiveram aumento em janeiro deste ano – fato confirmado pelos prefeitos presentes.

Parente reforçou também o nosso posicionamento sobre conteúdo local e comentou que o atraso em entregas de plataformas aumenta nossos custos, além de acarretar na perda de arrecadação de impostos para o poder público. O presidente falou da importância das parcerias na área de Refino e disse que essa é a única forma de concluir o Comperj: “Temos a esperança de que por intermédio das parcerias possamos encaminhar a conclusão da refinaria. É a única forma que temos de retomar a obra do Comperj”.

Além de Parente, participaram da reunião a gerente executiva de Refino, Gás e Energia, Marina Fachetti, que representou o diretor de Desenvolvimento da Produção e Tecnologia, Roberto Moro, o diretor interino de Refino e Gás Natural, Claudio Schlosser, e os prefeitos de Niterói, Rodrigo Neves; de São Gonçalo, José Luiz Nanci; de Itaboraí, Sadionel Souza; de Silva Jardim, Anderson Alexandre; de Rio Bonito, José Luiz Mandiocão; de Tanguá, Valber Luiz; de Guapimirim, Zelito Tringuelê, de Nova Friburgo, Renato Bravo; de Casimiro de Abreu, Paulo Cezar Dames; e de Cachoeiras de Macacu, Mauro Soares.

Fonte: Petrobras

expandida por analysis

comperj
CLIQUE PARA AMPLIAR

O COMPERJ (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro) localiza-se no Município de Itaboraí-RJ e seu projeto implica na ampliação da capacidade nacional de refino e processamento de gás natural, especialmente para atender às perspectivas futuras do Pré-Sal.

A área em torno de 45 km² foi projetada para ter uma refinaria, uma unidade de petroquímicos básicos de primeira geração (eteno, benzeno, etc), além de unidades de segunda geração e uma planta de processamento de gás natural (UPGN).

Com a crise financeira da Petrobras, em seu plano de negócios de 2016, ela sinalizou que as obras do COMPERJ continuariam, mas com o auxílio de parceiros.

Contudo, de acordo com o apresentado pela Petrobras, a UPGN irá sair e será responsável pelo tratamento de gás natural da nova rota do Pré-Sal, a chamada Rota 3. A importância estratégica da capacidade de processamento dessa unidade é essencial para as expectativas de novo gás natural esperado nos próximos anos.

Por Luiz Ehlers (EnergyWay)

CONHEÇA A NOSSA BIBLIOTECA DE REPORTS :
INFORMAÇÕES DE MERCADO COM ATUALIZAÇÃO AUTOMÁTICA E ON LINE.