A Potencial Diversificação de Players em Campos

A Potencial Diversificação de Players em Campos

1178
COMPARTILHAR

Por Luiz Ehlers (EnergyWay)

A importância da Bacia de Campos ao setor de petróleo e gás do Brasil é notória. A região se manteve como a maior produtora nacional de petróleo por bastante tempo e tem uma participação vital tanto no desenvolvimento da Petrobras quanto no setor de petróleo no Brasil.

Embora alguns dos campos já se encontram em declínio de produção, Campos ainda se mantém como a segunda Bacia em produção de petróleo e também de gás natural no Brasil.

Com o foco da Petrobras direcionado à rentável exploração e produção do Pré-Sal, muito tem sido discutido no mercado sobre a necessidade de diversificação de investimentos dessas áreas ” além Pré-Sal”.

Os resultados exploratórios, os novos leilões e o desinvestimento da Petrobras podem garantir à região uma diversificação maior de players.

OS OPERADORES NÃO PETROBRAS ATUALMENTE EM CAMPOS

Dos atuais 2,67 milhões de barris diários (bd) de petróleo produzidos no Brasil em junho de 2017, cerca da metade vem da Bacia de Campos.

Como é de conhecimento, a Petrobras detém a operação de grande parte dos campos em produção na bacia. Contudo, há também outras empresas presentes em Campos.

Entre essas operadas com produção atual temos a Shell, Chevron, Petrorio, OGX e Statoil. Atualmente esses campos já somam uma produção em torno de 144 mil bd e mantém um comportamento crescente. É importante destacar que algumas dessas empresas também estão presentes em outras concessões em Campos, mas não como operadores.

CLIQUE PARA AMPLIAR

OS BLOCOS EM EXPLORAÇÃO PROMISSORES EM CAMPOS

Como é de conhecimento geral, a Bacia de Campos já encontra-se há cerca de dez anos sem novos blocos exploratórios. Somado a esse fator, toda a crise do setor acabou ocasionando uma redução expressiva no ritmo exploratório na região.

Porém, alguns dos blocos exploratórios têm apresentado bons resultados de acordo com seus operadores. Os potencias prospectos declarados em Campos pertencem à Statoil (Pão de Açúcar), BP (Itaipu) e Anadarko (Wahoo).

A Bacia de Campos, contudo, estará presente nas próximas rodadas de licitação de setembro. Sua participação estará tanto no modelo de partilha (Sudoeste de Tartaruga Verde) quanto na Rodada 14 sob o modelo de concessão.

CLIQUE PARA AMPLIAR

DESINVESTIMENTO DA PETROBRAS EM CAMPOS

Por fim, há ainda o processo de desinvestimento da Petrobras que recentemente apresentou uma série de campos produtores em águas rasas que são vendidos. Os polos são compostos pelos seguintes campos:

  • Polo Pargo – Pargo, Carapeba e Vermelho (produção de petróleo em julho = 12,5 mil bd)
  • Polo Enchova – Enchova, Bicudo, Bonito, Enchova Oeste, Marimbá e Piraúna (produção de petróleo em julho = 22,7 mil bd)
  • Polo Pampo – Pampo, Badejo, Linguado e Trilha. (produção de petróleo em julho = 12,1 mil bd)

Além desses, a empresa já havia sinalizado a intenção de venda de Maromba e Tartaruga Verde.

CLIQUE PARA AMPLIAR

A diversificação de players é uma boa medida ao setor e mesmo à própria Petrobras, que não tem condições de administrar e investir em tudo. Novas empresas garantem uma maior quantidade de serviços e empregos, além de diversificar os riscos em geral.Essas são medidas importantes e necessárias ao crescimento do setor.