O Novo Cenário de Players Pós-Leilões 2017 – Offshore

O Novo Cenário de Players Pós-Leilões 2017 – Offshore

563
COMPARTILHAR

Por Luiz Ehlers (EnergyWay)

Considerados como o marco da retomada do setor, os leilões de petróleo e gás natural de 2017 trouxeram grandes valores à União e também novos players ao setor.

Em 2017 ocorreram  quatro rodadas de petróleo: (i) acumulações marginais (ii) 14ª Rodada – concessão (iii) 2ª Rodada – Partilha e (iv) 3ª Rodada – Partilha.

Enquanto as rodadas de partilha arrecadaram R$ 6,15 bilhões, a de concessão atingiu a marca de R$ 3,8 bilhões em bônus de assinatura, que deverão ser pagos integralmente na assinatura dos contratos.

Ainda estão programadas rodadas para os próximos dois anos, sendo que está prevista também a declaração oficial dos detalhes das rodadas para 2020.

Em outubro, ocorreu a 14ª Rodada de Licitações (R14), onde foram arrematados 37 blocos com a participação de 20 empresas.

Em mar foram arrematados ao todo 13 blocos, distribuídos nas Bacias de Campos, Espírito Santo, Santos e Sergipe-Alagoas.

Os maiores investimentos estiveram com a ExxonMobil, que esteve presente inclusive entre os maiores lances dos leilão (C-M-346 e C-M-411). Contudo, além da ExxonMobil e Petrobras, outras empresas detiveram a operação de blocos offshore como CNOOC, Karoon  Repsol Exploracion.

As duas rodadas de partilha também trouxeram uma diversidade significativa de empresas. Dos seis blocos arrematados, a Petrobras detém a operação da metade deles, sendo que os outros três possuem operação da Shell e Statoil.

Sendo assim, as rodadas de licitação 2017 em mar trouxeram o seguinte cenário às Bacias de Campos, Santos e Espírito Santo.

clique para ampliar

As próximas rodadas de partilha de 2018 e 2019 oferecerão as seguintes áreas na região:

clique para amplia

Para 2018 serão ofertadas as áreas: Itaimbezinho, Dois Irmãos, Saturno, Três Marias e Uiarapuru. Para 2019 serão: Bumerangue, Aram, SE de Lula, Sul de Júpiter e SW de Júpiter.

Leia também: